Igualitária: Revista do Curso de História da Estácio BH, No 6 (2015)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

Ritos Fúnebres dos Escravos e Forros nas Minas Gerais do Século XVIII: um Debate Historiográfico

Régis Clemente Quintão

Resumo


O presente artigo tem como objetivo principal analisar os ritos fúnebres dos escravos e dos forros no contexto específico das Minas Gerais do século XVIII, como foram mantidas as tradições africanas e como estas se relacionaram com a mentalidade cristã da época. De outro modo, buscou-se também observar como se deu a apropriação dos ritos cristãos, sobretudo pelos forros, destacando a importância das irmandades na realização dos ritos mortuários. A morte no século XVIII tornara-se uma cerimônia pública, na qual não tardaria aparecer particularidades dos costumes africanos e traços dos ritos católicos. 


Texto Completo: PDF

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Igualitária: Revista do Curso de História da Estácio BH © 2012 Todos os direitos reservados.