Igualitária: Revista do Curso de História da Estácio BH, No 8 (2016)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

A preservação do patrimônio audiovisual pela SPHAN/Fundação Pró-Memória no contexto da Redemocratização do Brasil (1984-2003)

Ramon Vieira Santos

Resumo


O presente texto busca estabelecer uma reflexão a respeito do reconhecimento do cinema enquanto patrimônio cultural e a institucionalização dessa valoração por meio da Cinemateca Brasileira pertencente à Fundação Nacional pró-Memória/Sphan (Secretaria do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) no contexto da redemocratização no Brasil principalmente entre os anos de 1984 a 2003, a partir da análise da documentação existente nessas mesmas instituições. Pretende-se traçar um breve histórico da trajetória da Cinemateca Brasileira fortemente influenciada pelo contexto político e social daqueles anos quando a mesma se vincula do IPHAN.

Texto Completo: PDF

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Igualitária: Revista do Curso de História da Estácio BH © 2012 Todos os direitos reservados.