Igualitária: Revista do Curso de História da Estácio BH, No 3 (2014)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

O Papel do Professor Régio nas Minas Setecentistas a Partir da Reforma Pombalina da Educação

Keitiane Ramos de Almeida

Resumo


Este artigo tem por finalidade analisar o papel do professor régio nas Minas Setecentistas a partir da Reforma Pombalina da Educação e o processo de obtenção de mercês e privilégios como forma de inserção social, desde o momento em que D. José I através da criação do Alvará Régio em 1759 estabelece que os professores “terão privilégios de nobre”. O Alvará também determinou o comportamento do professor e seu papel perante a sociedade mineira colonial, uma vez que a educação na Capitania de Minas Gerais era baseada na educação moral, portanto, o mestre teria a função de educar a juventude, além de ser um exemplo de “bom súdito e bom cristão”. Afinal o professor deveria ser modelo de civilidade, base importante para a educação das elites mineiras, além de ter um comportamento exemplar como funcionário do Estado.

Texto Completo: PDF

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Igualitária: Revista do Curso de História da Estácio BH © 2012 Todos os direitos reservados.