Políticas Editoriais

Foco e Escopo

Revista Transdisciplinar Logos e Veritas do Núcleo de Pesquisa de Ciências Jurídicas e Sociais – NPCJS da UNESA Campus Cabo Frio, tem por propósito orientar suas edições a partir do par conceitual que sustenta o pensamento ocidental e que faz parte do seu título, a saber: logos, que em grego significa explicação, discurso, razão etc., e veritas, do latim, cuja acepção é verdade. Razão e verdade, portanto, são os compromissos deste novo veículo de transmissão de ideias que, mesmo ciente de suas imensas limitações, procurará com elegância expor, debater, indagar, discordar, concordar, analisar, investigar e refletir sobre todos os objetos, temas e problemas compreendidos pelo mundo da transdisciplinaridade. Nesse caso, tudo o que permeia nosso universo demasiadamente humano.

 

Políticas de Seção

Artigos

Insira aqui a política desta seção

Selecionado Submissões Abertas Selecionado Indexado Selecionado Avaliado por Pares
 

Processo de Avaliação por Pares

Normas para publicação

A Revista Transdisciplinar Logos e Veritas é uma revista em meio digital de periodicidade semestral e que recebe, em suas chamadas para publicação, artigos, ensaios, resenhas originais e inéditos, que não estejam sendo avaliados para publicação por outra revista. A opção pela divulgação em formato digital é motivada pela facilidade de acesso e visibilidade de seu conteúdo, dedicado às variadas áreas do conhecimento transdisciplinar. A Revista Transdisciplinar Logos e Veritas não cobra taxas para submissão, processamento e publicação dos artigos.

Colaborações livres serão aceitas e submetidas à avaliação do conselho editorial, segundo critérios preestabelecidos. Aos editores se reserva o direito de proceder a ajustes textuais e de adequação às normas da publicação.

Direitos autorais

Os autores concedem à revista o direito de publicar o seu trabalho pela primeira vez sob a licença Creative Commons (CC BY-NC-ND), que permite o intercâmbio de obras, com reconhecimento obrigatório da autoria e publicação inicial nesta revista, sob a mesma licença e para fins não comerciais. Os conceitos emitidos em artigos assinados são de absoluta e exclusiva responsabilidade de seus autores.

Política de privacidade

Os nomes e contatos submetidos à Revista Transdisciplinar Logos e Veritas serão usados exclusivamente nos serviços prestados por esta publicação e não serão disponibilizados para outras finalidades ou a terceiros.

Diretrizes para os autores
Resumo/Abstract/Palavras-chave:

Os resumos e abstracts devem ter no máximo 10 linhas, tamanho 11 e espaço simples. As palavras-chave e keywords (no caso da Revista Transdisciplinar Logos e Veritas, até cinco) devem ser representativas do conteúdo do documento, escolhidas, preferentemente, em vocabulário controlado.

Resenhas:

As resenhas (textos que apresentem uma apreciação crítica de livros, teses, CD sonoro, CD-ROM, produtos de hipermídia etc.) devem ter título próprio (diferente do título do trabalho resenhado), seguido por Resumo, Palavras-chave, Abstract (em inglês) e Keywords (em inglês). Precisam trazer as referências completas do trabalho resenhado, de acordo com o objeto (título, subtítulo, editora/produtora, instituição etc.).

Idioma:

Serão aceitos trabalhos redigidos em português e espanhol. Textos escritos em outros idiomas deverão ser traduzidos ao português.

Envio:

Os trabalhos deverão ser enviados unicamente por e-mail para o endereço: revistalogoseveritas@gmail.com.

Prazo:

A submissão de textos deverá ser realizada, impreterivelmente, até o prazo estipulado nos editais de chamada de artigos da revista Acesso Livre disponíveis em http://revistalogoseveritas.inf.br/lev/  e na página da associação no Facebook: https://www.facebook.com/revistalogoseveritas/

Formato e identificação:

Os arquivos deverão ser enviados em formato Word for Windows (.doc), contendo os dados de identificação do autor (nome, titulação, função e/ou cargo, instituição, endereço eletrônico) que devem constar no final do texto do trabalho.

Número de páginas:

Artigos e ensaios devem ter entre 6 e 10 páginas; resenhas, de 3 a 5 páginas (inclusas figuras e fotos, bem como o texto de apresentação pessoal dos autores). As referências bibliográficas devem estar contidas no número máximo duas de páginas.

Dimensões e cores:

Os textos devem ser digitados em folha A4, cor preta, devendo ser utilizado o padrão colorido ou preto e branco para as ilustrações.

Margens:

Configuração da página: margens esquerda 3,0 e direita 2,0, margens superior e Inferior 2,5.

Fonte:

Deve-se utilizar a fonte Times New Roman, tamanho 12, para todo o trabalho, excetuando-se citações com mais de três linhas, notas de rodapé, paginação, dados internacionais de catalogação na publicação, legendas e fontes das ilustrações e das tabelas, que devem ser em tamanho menor e uniforme.

Espaçamento:

Todo texto deve ser digitado com espaçamento 1,5 entre as linhas, excetuando-se as citações de mais de três linhas, notas de rodapé, referências, legendas das ilustrações e das tabelas, que devem ser digitados em espaço simples. As referências, ao final do trabalho, devem ser separadas entre si por um espaço simples em branco.

Citações:

Todas as citações textuais que excederem três linhas deverão ser destacadas do corpo do texto sem aspas, da seguinte maneira: fonte Times New Roman 11, espaçamento 1,5 e recuo de 4 cm. As citações não devem vir em itálico, negrito ou sublinhado, com a exceção para trechos destacados pelo autor. Cada citação bibliográfica deve estar no modelo americano (AUTOR, ano da publicação e nº de página).

Notas de rodapé:

As notas de rodapé, caso haja, devem ser apenas explicativas, em fonte tamanho 10, numeradas com cardinais.

Siglas:

A sigla, quando mencionada pela primeira vez no texto, deve ser indicada entre parênteses, precedida do nome completo.

Ilustrações:

Devem seguir o padrão preto (e seus matizes) e branco. Qualquer que seja o tipo de ilustração, sua identificação aparece na parte superior, precedida da palavra designativa (desenho, esquema, fluxograma, fotografia, gráfico, mapa, organograma, planta, quadro, retrato, figura, imagem, entre outros), seguida de seu número de ordem de ocorrência no texto, em algarismos arábicos, travessão e do respectivo título. Após a ilustração, na parte inferior, indicar a fonte consultada (elemento obrigatório, mesmo que seja produção do próprio autor), legenda, notas e outras informações necessárias à sua compreensão (se houver). A ilustração deve ser citada no texto e inserida o mais próximo possível do trecho a que se refere. A obtenção de permissão para reprodução de ilustrações é de responsabilidade do autor.  Para as imagens, utilizar formato JPEG e anexar a devida autorização de uso.

Tabelas:

Devem ser citadas no texto, inseridas o mais próximo possível do trecho a que se referem e padronizadas conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Referências bibliográficas:
Devem vir ao final do texto.

Exemplos:

Livros

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. 26. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

Referência com autor desconhecido

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 14724: informação e documentação ‒ apresentação. Rio de Janeiro, 2001.

Capítulo de livro e/ou artigo de coletânea

JANCSÓ, István; PIMENTA, João Paulo. Peças de um mosaico (ou apontamentos para o estudo da emergência da identidade nacional brasileira). In: MOTA, Carlos Guilherme (org.). Viagem incompleta: a experiência brasileira (1500-2000). 2. ed. São Paulo: Senac, 2000.

Teses, dissertações e monografias

SOUSA, Antônio Cícero. Cinema e política: o anticomunismo nos filmes sobre a Guerra Fria (1948-1969). Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2002.

Artigos e/ou matérias de revista e jornal

FRAGOSO, João. Afogando em nomes: temas e experiências em história econômica. Topoi: Revista de História do Programa de Pós-Graduação em História Social da UFRJ, Rio de Janeiro, n. 5, p. 41-70, set. 2002.

FABRIS, Mariarosaria. O cinema brasileiro ainda dialoga com o neorrealismo? Gazeta Mercantil, São Paulo, 12 jan. 2007, p. 7.

Livros online

LACAN, Jacques. O estado do espelho como formação da função do Eu. Disponível em: www.bsfreud.com/jlestadioespelho.html. Acesso em: 12 set. 2012.

Trabalhos apresentados em congressos, seminários etc.

FRANCO, Antônio. A imprensa e a Europa 92. In: ENCONTRO INTERNACIONAL DE JORNALISMO, 2., 1989, Rio de Janeiro. Anais… Rio de Janeiro: IBM do Brasil, 1990. p. 10-35.

 

Política de Acesso Livre

Esta revista oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento.

 

Missão

Lançamento da Revista Transdisciplinar Logos e Veritas

Em agosto de 2013, por conta da aprovação do Projeto de Pesquisa O conceito de justiça no pensamento ético-político-jurídico de Aristóteles nas obras “Ética a Nicômaco”, livro V e a “Política” livro III junto ao Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica – PIBIC-UNESA, em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico–CNPq, a Coordenação do Curso de Direito da UNESA Campus Cabo Frio, na pessoa da Prof.ª Maria Clarice Bezerra da Nóbrega, estimulou a instituição de um ambiente de pesquisa no Campus com o objetivo de criar condições materiais e espirituais para reunir o grupo de alunos vinculados ao Projeto supra. Em pouco tempo, após algumas reuniões, construímos a ideia de um núcleo de pesquisa que, por conta da sugestão do velho mestre e cientista social Aluízio Alves Filho da PUC-RJ, passou a se chamar NÚCLEO DE PESQUISA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS E SOCIAIS-NPCJS, cujo intento se engrandeceu ao ponto de tornar-se um centro de estudos do referido Campus envolvendo o incentivo de diversos projetos de investigação de todos os seus professores, desde que o objeto contemple a transdisciplinaridade. Contudo, as ideias não ficaram somente nessa esfera, pois, por mais ampla que fossem, não correspondiam às expectativas dos seus membros.

Assim, após os denominados “Encontros” em torno do “Ciclo de leituras sobre os mitos platônicos ao cair da tarde”, que contou com o apoio dos Cursos de Direito e de História, desenvolveu-se a ideia de instituirmos uma revista que divulgasse nossas pesquisas e seus resultados, mesmo que provisórios. Foi nesse momento que surgiu o talento da Web Developer Lou Calainho, estudante do quinto período de História, que já tinha dado mostra nos cartazes confeccionados para o Encontro acima citado e o “Seminário de Filosofia e Ciência, segundo a Conferência de Husserl em Viena no ano de 1935”.

Nossa Revista, depois de longas trocas de e-mails, por sugestão de Lou Calainho, passou a chamar-se Revista Transdisciplinar Logos e Veritas do NPCJS, que conterá artigos dos membros dos corpos docente e discente da UNESA-Cabo Frio, sem olvidar a contribuição de estudiosos de outros campi da UNESA e Instituições coirmãs, e ainda sem ignorar o investigador solitário que possa contribuir para novas formas de pensar, o que nos remete à origem do pensamento ocidental com os magistrais exemplos de Tales, Anaximandro, Parmênides, Heráclito etc.

A Revista Logos e Veritas tem a pretensão de fazer valer os dois vocábulos de seu título, notadamente extraídos das duas línguas que configuram o ideário do mundo ocidental, a saber: logos, do grego explicação, discurso compreensivo, razão etc., e veritas, do latim verdade. Razão e verdade, portanto, são os compromissos deste novo veículo de transmissão de ideias que, mesmo ciente de suas imensas limitações, procurará com elegância expor, debater, indagar, discordar, concordar, analisar, investigar, “ruminar” e refletir sobre todos os objetos, temas e problemas compreendidos pelo mundo da transdisciplinaridade. Nesse caso, tudo que permeia o nosso universo demasiadamente humano.

Por fim, desejamos destacar que a nossa Revista não seria possível sem os apoios decisivos dos Gerentes Acadêmico e Administrativo Sr. Paulo Carvalho e Sr. Fabio Rodrigues; da bibliotecária Karla Amandio e sua equipe, especialmente Newton Machado; da Sr.ª Luciana Rodrigues da Coordenação dos Professores e sua equipe composta por Luiz Continentino e Renata Alves; dos amigos do Laboratório de Informática André Alves e Heverton de Oliveira; do apoio logístico de Stanley Wagner, Karina Felippe e Benedito Pereira, e, necessariamente dos professores e estudantes que contribuíram com seus trabalhos para o primeiro exemplar, além dos generosos leitores que nos honrarão contribuindo com críticas fundamentais para o aperfeiçoamento desta nossa odisseia.

Boa leitura.
Comissão Editorial.

ponto-final