Revista Multidisciplinar Pey Këyo Científico - ISSN 2525-8508, Vol. 4, No 2 (2018)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

O SACRIFÍCIO DE CRIANÇAS EM COMUNIDADES INDÍGENAS: UMA ANÁLISE JURÍDICO-ANTROPOLÓGICA

Juan Lima Carvalho, Jakson Hansen Marques

Resumo


O presente artigo visa expor os fatos culturais que geram o sacrifício de crianças em comunidades indígenas e da não interferência do Estado nas relações tribais, tendo como bibliografia central para a análise o trabalho de Débora Fanton e Guilherme Scotti bem como os conceitos de Clifford Geertz acerca do tema. Também será abordada a implicação das normas do Estado em face de uma comunidade indígena, da sua intervenção ou não, traçando um paralelo entre o relativismo cultural e o interculturalismo.  O Estado garante o direito a cultura sem interferências externas, mas também garante a dignidade da pessoa humana em sua Constituição Federal bem como é signatário de inúmeros tratados internacionais os quais já tem pacificado o direito a vida, saúde e integridade física como absolutos e inerentes a todos os seres humanos, mas ainda há o debate entre o choque do direito a vida e o direito a cultura. Ainda, o presente trabalho compõe a integralidade de um trabalho que vinha sendo desenvolvido a fim de computar como Trabalho de Conclusão de Curso.


Texto Completo: PDF