Revista Multidisciplinar Pey Këyo Científico - ISSN 2525-8508, Vol. 5, No 1 (2019)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

PROPOSTA DE PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL FLEXÍVEL PARA INSTRUTORES INTERNACIONAIS EM UNIVERSIDADES BRASILEIRAS

Gardenya da Silva Felix, Bruno César Barreto de Figueirêdo, Ginessa Payne, Brandon Cooper, Xueyan Hu

Resumo


Instrutores internacionais, adequadamente preparados, são de grande valor para uma universidade. Esses acadêmicos trazem conhecimento, conteúdo e disposição para aceitar tarefas intensivas de ensino em trabalhos sem estabilidade, porém enfrentam o desafio de ensinar em uma outra língua e cultura. No entanto, pouca ou nenhuma formação preparação formal para instrutores internacionais é atualmente oferecida em universidades públicas brasileiras. A necessidade dessa qualificação se tornou aguda dado o número sem precedentes de migrantes venezuelanos no Brasil. A diferença de idiomas é um desafio, já que os estrangeiros contratados por universidades públicas brasileiras, como professores substitutos, devem ensinar em português. Além disso, os sistemas educacionais (e as expectativas dos alunos quanto ao comportamento de seus instrutores) variam entre países. Nesse aspecto, existem notáveis ​​semelhanças entre as universidades brasileiras e as norte-americanas, onde, durante décadas, os estudantes internacionais de pós-graduação foram empregados como assistentes de ensino. Para garantir uma comunicação eficaz em salas de aulas e laboratórios, muitas universidades estabeleceram programas que fornecem treinamento em inglês, pedagogia e cultura universitária local. Um desses programas é o da Texas A&M University’s English Language Proficiency Program. O resultado é um modelo que aproveita os recursos existentes para fornecer treinamento flexível e individualizado por um baixo custo. A proposta neste artigo é demonstrar o modus operandi desse programa e a sua viabilidade de implantação no contexto brasileiro, visando uma melhor preparação do profissional estrangeiro, com o devido suporte linguístico e cultural.


Texto Completo: PDF