Revista Educação e Cultura Contemporânea, Vol. 15, No 38 (2018)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

Práticas de saber-poder sobre Educação Infantil em relatórios do UNICEF: problematizações

Flávia Cristina Silveira Lemos, Nathália Dourado Frazão Costa, Ellen Aguiar da Silva

Resumo


O cenário dos últimos 25 anos é marcado pela proeminência da discussão sobre educação infantil, perceptível pelo aumento da quantidade de publicações sobre o tema e discussão de políticas educacionais para a chamada primeira infância (0 a 6 anos). Seus atravessamentos marcados pela economia neoliberal, organismos internacionais e movimentos de luta pelo direito à educação também tornam-se notórios. Esta pesquisa interrogou práticas de educação infantil presentes em oito relatórios do UNICEF, de 1990 a 2014, questionando condições possíveis de sua emergência e problematizando a categoria infância e sua escolarização. Foi realizado um percurso sobre a invenção da infância e seu encontro com a educação, especialmente com a escolarizada, e quais efeitos derivam deste encontro com organizações multilaterais. Os oito relatórios desta agência sobre a infância brasileira foram analisados em consonância às teorias e ferramentas metodológicas demarcadas por Michel Foucault. Foi analisado como atuam relações de saber-poder nestes relatórios e recortadas séries das unidades discursivas presentes nos documentos.

Texto Completo: DOI10.5935/2238-1279.20180004PDF

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.


Revista Educação e Cultura Contemporânea 2004-2019 | Universidade Estácio de Sá
ISSN online: 2238-1279

A REEDUC encontra-se indexada nas seguintes plataformas:
DOAJ PKP Google Acadêmico Periódicos CAPES
Educ@ Latindex BEE Clase UAM Livre Livre