Revista Eletrônica Estácio Saúde, Vol. 6, No 1 (2017)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

ÁNALISE BIOMÉTRICA E ESTEREOLOGICA DO CORAÇÃO DE PROLES SUBMETIDAS À RESTRIÇÃO PROTEICA MATERNA GESTACIONAL

Paula Santiago, Ananda Justa Pereira, Jussara Giannini, Jennifer Almeida, Samuel Alencar de Brito, Veronica Clemente Villar Martini

Resumo


 

O objetivo foi quantificar com a estereologia, corações de ratos Wistar machos submetidos à restrição proteica gestacional, para determinar possíveis alterações morfológicas cardíacas. Estudo quantitativo, com ratos gerados de mães normais e restritas foram estudados em 0/90/180 dias pós-natais. A partir dos 90 dpn aferiu-se a pressão arterial sistólica, massa corporal e o comprimento naso-anal. As lâminas foram analisadas e estimou-se a densidade volumétrica do miocárdio. O grupo restrito apresentou baixo peso ao nascer e pressão arterial sistólica elevada na idade adulta. Em 180dpn, o grupo restrito apresentou alteração de densidade volumétrica dos miócitos quando comparado ao controle, porém estas diferenças não foram estatisticamente significativas. Conclui-se que a restrição proteica gestacional causa aumento da pressão arterial sistólica e diminuição da massa corporal e do comprimento naso-anal ao nascimento em ratos machos. Assim como, diferenças quantitativas do miocárdio, mesmo que não significativas, sugerem risco de doença cardiovascular em idades mais elevadas.

 


Texto Completo: PDF

Resultado de imagem para latindex